Nos Bastidores do Blog

Minha foto
Rosangela Enéas é publicitária, especialista em docência no ensino superior, escritora ghost writer e master coach. Como empreendedora responsável pela Unicórnio Autorias de Pensamento, vem ao longo de aproximados dezoito anos, mantendo o foco em Marketing de Conteúdo utilizando técnicas de Coaching como base metodológica para prestar serviços dentro de suas competências.

20/09/2018

O Marketing de Conteúdo na Produção de Vídeos


Quando se pensa em Marketing de Conteúdo, é comum que se idealize apenas bons textos, esquecendo o fato de que conteúdos de texto encontram-se inseridos em todo e qualquer tipo de mídia, ainda que possam estar ocultos à visão, como é o caso dos vídeos (sem legenda), posto que de alguma forma, foram construídos a partir de roteiros.
Videocasts e o Marketing de Conteúdo

Devido principalmente à rede social "YouTube", os vídeos hoje vem ocupando no ranking dos mecanismos de buscas, nada mais nada menos, do que o segundo lugar, o que os torna uma excelente estratégia de Marketing.

Podendo em grande parte funcionar como forma de influência subliminar, o produtor do(s) vídeo(s) que souber transmitir emoções junto aos seus conteúdos, certamente conquistará audiência em curto espaço de tempo.

Devido aos avanços tecnológicos, gravar, editar e postar um vídeo está ao alcance de todos, não necessitando de produções de custos altíssimos, como era antigamente. 

Penso em auxiliar você em suas novas produções, escrevi este post com propostas sobre algumas regras básicas, muito úteis de serem seguidas, em seus momentos de gravação:

  • Grave vídeos com, no máximo, 3 minutos de duração - a não ser que seu conteúdo seja, por exemplo, um tutorial - porque estudos apontam que os internautas, de forma inconsciente, acompanham as mensagens na mesma velocidade do meio em que estão agindo, e assim, eles "tem pressa de busca", desejando obter muita informação em pouco tempo. Sendo assim, elaborar os primeiros minutos do seu vídeo "como se fossem os últimos" (prender a atenção) é o mais indicado.
  • Leve em consideração todos os conteúdos que farão parte do seu vídeo - áudio (música/texto falado), imagens, efeitos (sem exageros!) e iluminação - lembrando de contextualizá-los com a emoção que seu tema/assunto sugere.
  • Assista sua própria produção, colocando-se no lugar do telespectador, com o olhar mais crítico possível, considerando os seus sentimentos - bons ou ruins - como sendo iguais aos do seu público.

Seguir o básico acima em minha opinião, fica mais fácil se você imaginar que estará contando uma história, que poderá - ou não - funcionar nos seguintes sentidos:

  • Como uma propaganda (ex: um comercial televisivo)
  • Como uma chamada viral (ex: um vídeo engraçado, emocionante ou excessivamente dramático)
  • Como uma aula (ex: tutoriais)
  • Como uma série (ex: mine tutoriais interdependentes)
  • Como uma publicidade (ex: animações que divulguem conceitos)

Aproveitar os recursos disponíveis em redes específicas, como "YouTube" ou Vímeo", aplicando-os em paralelo aos conceitos que você já conseguiu apreender sobre Marketing de Conteúdo, com foco no seu objetivo profissional, certamente será uma ótima escolha.

Gostaria de receber maior auxílio para elaborar roteiros de videocasts? Seu contato está sendo aguardado!


Nenhum comentário:

Postar um comentário