Nos Bastidores do Blog

Minha foto
Rosangela Enéas é publicitária, especialista em docência no ensino superior, escritora ghost writer e master coach. Como empreendedora responsável pela Unicórnio Autorias de Pensamento, vem ao longo de aproximados dezoito anos, mantendo o foco em Marketing de Conteúdo utilizando técnicas de Coaching como base metodológica para prestar serviços dentro de suas competências.

12/12/2018

Magazine Coaching: O Poder da Auto Destruição

Magazine Coaching: O Poder da Auto Destruição

Provavelmente você já ouviu alguém dizendo "ando tão irritada(o), tão mal humorada(o) que, nem eu mesma(o) me aguento”.

Você concorda que, no caso, se nem essa pessoa se aguenta mais, o que dirá das outras pessoas que com ela convivem, ou pior, que sentem-se obrigadas a conviver com ela?!

Na minha opinião, uma pessoa que reconhece estar agindo mal, pode até pensar que diz isso da "boca para fora", porém, possivelmente desconheça o fato de que o cérebro humano só consegue transmitir as informações que guarda dentro de si mesmo, ou seja, registra somente impressões que sejam verdadeiras "para seu dono".

As expressões negativas ou restritivas de liberdade (estado de felicidade) são conhecidas em Coaching como “crenças limitantes”. 

Tais crenças geralmente são originadas por carências próprias que fazem com que, quem as tenha, opte por colocar-se sempre em segundo plano, e, a tal ponto, que passa ao não reconhecimento de verdades internas (cerebrais) que, por sua vez, faz com que deposite a culpa do que lhes ocorre de negativo, invariavelmente à outras pessoas.

Se alguém não aguenta a si mesmo(a), é grande o seu poder de auto destruição.

Você conhece pessoas que espalha somente negatividade - verdadeiro tóxico energético! - por ai?

Se o caso, proponho que alerte esse alguém, com a informação de que reclamações não servem de ferramentas anti sofrimento e, menos ainda, como receitas para a solução de problemas.

A programação neurolinguística defende a ideia de que a cada reclamação, estamos inconscientemente desejando três coisas que não podem nos levar a lugar algum:

  1. “Coitadismo”. Quem não está bem consigo mesmo(a) vibra numa baixa frequência e, conforme a física quântica,  atrairá "naturalmente" pessoas de baixa vibração e ocasiões negativas (mesma frequência). E, nessa união lastimável de fatos, fatalmente remove o senso de responsabilidade do próprio cérebro. esse é o motivo principal para que culpe pessoas - geralmente as mais próximas - pelos seus infortúnios, atraindo como consequência, a solidão para fazer dela muito provavelmente, uma zona de conforto.
  2. “Perda de foco”. Nem sempre as pessoas olham para onde desejam realmente ir, ou em outras palavras, todos desejam a felicidade mas, focam em tristezas (problemas) e, agindo assim, como já vimos, a trilha será indubitavelmente feita em um caminho de dificuldades.! Vale a pena lembrar de um antigo ditado que diz "quem quer, consegue mas quem não quer, arruma desculpas.
  3. Aceitação. Conquistar um pouco sempre é uma opção para evitar que não se conquiste nada. Receber então "gotas de atenção" sacia a carência momentaneamente...mas, até quando? E, o que fazer quando a atenção (ex: amor, reconhecimento, outros)

Você "não se aguenta mais"? Que tal se auto desentoxicar? 

E, para conhecer os benefícios dessa mudança de atitude, eu desafio você leitor, a ficar uma semana - passa rápido! - sem reclamar e depois, deixe aqui nos comentários deste nosso blog, quantas coisas positivas foram atraídas para a sua vida durante esse tão curto período, ok?! 

As pessoas merecem saber e você, merecer comunicar! Vamos juntos espalhar essa boa notícia?