Nos Bastidores do Blog

Minha foto
Rosangela Enéas é publicitária, especialista em docência no ensino superior, escritora ghost writer e master coach. Como empreendedora responsável pela Unicórnio Autorias de Pensamento, vem ao longo de aproximados dezoito anos, mantendo o foco em Marketing de Conteúdo utilizando técnicas de Coaching como base metodológica para prestar serviços dentro de suas competências.

11/02/2019

Resumo: Regência Verbal

Resumo: Regência Verbal

Para acompanhar e apreender mais efetivamente o conteúdo deste post, sugiro que você leia o nosso post anterior clicando aqui, pois nele, antes de adentrar ao tema em questão - Regência Nominal - fiz menção de dicas muito interessantes que, por certo irão auxiliar e muito o entendimento não apenas do que agora iremos estudar - Regência Verbal - como também para todos os demais tópicos em Língua Portuguesa que espero, acompanhemos juntos okay?!

Isso posto, vamos então resumir o tema em questão de forma direta, ou seja, observando a teoria junto à exemplos construtivos a título de agilizar a sua aprendizagem, uma vez que os seus escritos não podem esperar!

Bom...da mesma forma que na Regência Nominal conforme dissemos anteriormente, você, como gerente ou administrador precisará manter o foco nos três "funcionários" (elementos) elementos em serviço - substantivo, adjetivo e advérbio - neste "departamento" você deverá manter o foco apenas em um "funcionário" (elemento), qual seja: o verbo.

Todavia, cuidado para não subestimar esse elemento, porque assim como nós escritores, ele também poderá trabalhar de maneiras diferentes, conforme a conveniência em prol da frase.  Essa conveniência recebe o nome de transitividade.
Pausa: Sinônimos de transitividade: "2 sentidos da palavra transitivo: Incerto: 1 contingente. 2 contingente, efêmero, interino, passageiro, precário, provisório, temporário, transitório." - Disponível em: <https://www.sinonimos.com.br/transitivo/>. Acesso em 11.fev.2019.
De acordo com os sinônimos acima, poderemos concluir então que esse nosso "funcionário" tem como característica relevante, sua dependência ou não de uma preposição dependendo da frase em que ele se encontre. (lembrando do que já conversamos no post anterior, ou seja, sobre a necessidade de conhecer o maior número de sinônimos possíveis no decorrer dos nossos estudos).
Pausa: Sobre a transitividade dos verbos:
INTRANSITIVOS não precisam de nenhum complemento (objeto) para que a frase tome sentido, porém sempre deverá estar acompanhado de um adjunto adverbial qualquer (lugar, tempo, modo, etc.).
TRANSITIVOS DIRETOS não precisam de preposição mas, por outro lado, estarão sempre acompanhados de um complementar: o objeto direto.
TRANSITIVOS INDIRETOS são os verbos que trabalham de forma contrária aos transitivos diretos, ou seja, estarão sempre precisando do auxílio de uma preposição, além de virem ao trabalho, sempre acompanhados de seu complementar: o objeto indireto.
TRANSITIVOS DIRETOS E INDIRETOS são os verbos que só efetuarão adequadamente as suas tarefas, se estiverem acompanhados de seus respectivos complementos, qual sejam: o objeto direto e o objeto indireto. 
Para fixar este nosso aprendizado, vamos exemplificar caso por caso? Acompanhe:

Resumo: Regência Verbal

Minha proposta para que você consiga fixar mentalmente o quadro acima, a título de aprendizagem:

Faça a análise da frase a partir do seguinte roteiro:

1. Leia a frase por inteiro antes de analisá-la;

2. Encontre o(s) verbo(s) e coloque apenas a letra "V" abaixo dele(s);

3. Observe se na frase há algum tipo de adjunto adverbial (tempo, lugar, modo, etc.)
  • Em caso positivo: você "mata a charada" acrescentando a letra "I" à letra "V", encerrando sua análise.
  • Em caso negativo: continue sua análise a partir do passo seguinte. 
4. Observe se há ou não preposição na frase.
  • Em caso positivo: acrescente à letra "V", a letra "I" imediatamente, para que assim, você já consiga "matar a charada", ou seja, saberá que o elemento posposto (virá em sequência) à preposição será obrigatoriamente um adjunto adverbial.
  • Em caso negativo: acrescente à letra "V", a letra "T" e continue a sua análise para determinar se a próxima letra a ser adicionada seria "D" ou "I". Para fazer essa descoberta, basta que você faça perguntas para o verbo. 
Exemplificando essa metodologia a partir do quadro:
Frase: "Fui ao salão de beleza."
Pergunte ao verbo: "Aonde fui?"
Resposta: "ao salão de beleza."
Sabendo que "quem vai, vai a algum lugar" iremos observar a presença da preposição embutida "a" (aonde = a + onde). Os demais elementos estão adjuntos (bem juntos, anexados, unidos) à preposição, dizem respeito a uma informação necessária para que o verbo seja compreendido na frase e também indicam um lugar. Eles serão então adjuntos adverbiais de lugar, ou em outras palavras, o complemento obrigatório de um "VI" (verbo intransitivo).
Frase: "Estudei naquela escola." 
Pergunte ao verbo: "Onde estudei?"
Resposta: "naquela escola"
Note que a nossa resposta não apresenta nenhuma preposição e, dessa forma, o verbo só poderá ser transitivo direto. Bastará então que acrescentemos às letras "VT", a letra "D" com a certeza de que o próximo elemento, obrigatóriamente será um "OD" (objeto direto).
Frase: "Entendemos às questões."
Pergunte ao verbo: "Entendemos o quê?"
Resposta: "às questões."
Lembre que "quem entende, entende a algo ou, entende a alguma coisa", correto? Sendo assim, a presença da preposição "a" (que no caso foi indicada pelo sinal da crase "a + a" será o alerta necessário para que após às letras "VT", a letra "I" seja adicionada, tendo como complementar o seu "OI" (objeto indireto).
Frase: "Agradeço aos leitores a presença."
Pergunte ao verbo: "O que agradeço?"
Resposta: "a presença."
Cuidado! Nesse caso, a letra "a" não está craseada, ou seja, ela não representa uma preposição mas somente, um indicativo de objeto direto e assim, após às letras "VT" a letra "D" deverá ser acrescentada.
Para entender a regência dos demais elementos da frase, você deverá repetir esse procedimento com uma nova pergunta ao verbo: "Quem agradeço?"
Resposta: "aos leitores."
Lembrando que "quem agradece, agradece a alguém ou, agradece a algo, ou agradece a alguma coisa", iremos observar a presença da preposição "a" e, nesse caso as letras "VT" estarão acompanhadas da letra "I".
Conclusão: Esse verbo será VTDI (verbo transitivo direto e indireto ao mesmo tempo).
Esperando que você tenha aprendido este nosso estudo de hoje, aceite o meu convite para que deixe seus comentários, dúvidas e/ou sugestões e também, que não perca o nosso próximo post, cujo tema irá versar sobre o uso da crase!
Boa escrita, forte abraço e até lá ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário